28 abril 2006




solidão é lava
que cobre tudo

amargura em minha boca
sorri seus dentes de chumbo



.
.
.


como é a vida.
justo hoje, um dia nublado dentro de mim, pego um ônibus (de uma linha que nunca pego, em um horário que nunca pego) e o cobrador consegue rasgar um sorriso resplandecente no meu rosto com um dos "bom dia!" mais sinceros que já ouvi.

a gentileza ainda vai salvar o mundo.



 


.: Mirana soprou às 11:27 :. .: 0 ventos alheios :.

 

27 abril 2006




Crescer é perigoso


Acabei de fazer minha primeira declaração de Imposto de Renda na vida (a de isento não conta!).

A dúvida agora é: o que fazer com a milionária restituição a receber?
Comprar o tão sonhado MP3 player ou abater da minha dívida?
Pleasure or responsability?

De novo, é a mesma encruzilhada.



 


.: Mirana soprou às 16:43 :. .: 0 ventos alheios :.

 

25 abril 2006




A casa com que sonhei tinha cor de terracota e um páteo central, rodeado de portas de madeira estreitas e altas. Crianças correndo, uma cozinha com fogão de lenha, um círculo de fogueira e uma fonte, roupas de algodão no varal e sonhos cultivados com esmero, junto de pés frondosos de manjericão.

Todas as manhãs o cheiro de pão.
Todas juntas. Um clã de mulheres e homens redefinindo o sentido de "família".

E eu não sei se na semana que vem terei um celular novo, com câmera e tudo, ou se vou mesmo é morar numa comunidade hippie.



 


.: Mirana soprou às 16:52 :. .: 0 ventos alheios :.

 

 


Mirana é uma existência efêmera nesse planeta, e isso a perturba um pouco, mas antes isso do que ser eterna. É relações públicas, finalmente graduada, enquanto deseja secretamente ser escritora de guias de viagem e/ou acrobata. Para viver precisa freqüentemente ler bons livros e dançar. Tem uma mãe sazonal, uma irmã essencial e um pai de quem não ouve mais falar, e vive bem assim, obrigada. É preguiçosa crônica, em tratamento, e tem apresentado sintomas claros de dependência do seu iPod. Guarda duas dúzias de pessoas no coração, e sempre se arrepende quando deixa passar muito tempo sem vê-las. Ama contemplar longamente o pôr-do-sol, o mar e a chuva. Já quis ter 42 anos, hoje vive bem com seus 30, mesmo se sentindo às vezes uma adolescente ingênua e espevitada, às vezes uma velha cansada e rabugenta. Tem TPM, mas nega até a morte. Vive em guerra com a balança e é preciso admitir que anda perdendo as últimas batalhas. Pretende ainda ter gatos e filhos, mas no momento declina da resposabilidade pela vida de outros. Veio ao mundo com uma missão pessoal e intransferível: ser feliz.




Email





Reduto da S.O.T.P.
Versos da Mariposa






 


Afrodite
Ah, bravo Figaro!
Andorinhas Ativas
Ao Mirante, Nelson!
Caixa de Jade
Calma Porra Nenhuma
Catarro Verde
Depósito do Calvin
É por aqui que vai pra lá?
e-Beth
Estrelinha
Gaveta de Criado-Mudo
Gente
I (still) blame my parents
Je Suis Marie
Liniers
Malvados
Meu Mundo
Modeletes
Mothern
Nêga do Leite
Objetos de Desejo
O Livro de Areia
Pensamentos de uma Batata Transgênica
Perto do Coração Selvagem
Poderosas Penélopes
Rafael Galvão
Satyricon
Sentimentalidades
Sim, eu OdeioSopa®
Sobreventos
Soninha
Superego
Tá Pensando o Quê?
te dou um dado?
The Book of Rodinia
The Clara Beauty Journal
Topismos
Viaje na Viagem
Zeca Camargo

Post a Secret
Revista YMSK

recados dos astros
e mais recados



CURRENT MOON




 




Gmail
Google
Getty Images
Iogurte
UOL



Help end world hunger







ImageShack - hospedagem gratuita de imagens






online




Março 2005
Abril 2005
Maio 2005
Junho 2005
Julho 2005
Agosto 2005
Setembro 2005
Outubro 2005
Novembro 2005
Dezembro 2005
Janeiro 2006
Fevereiro 2006
Março 2006
Abril 2006
Maio 2006
Junho 2006
Julho 2006
Agosto 2006
Setembro 2006
Outubro 2006
Dezembro 2006
Janeiro 2007
Abril 2007
Maio 2007
Junho 2007
Julho 2007
Agosto 2007
Setembro 2007
Outubro 2007
Novembro 2007
Dezembro 2007
Janeiro 2008
Abril 2008
Maio 2008
Junho 2008
Julho 2008
Agosto 2008
Setembro 2008
Outubro 2008
Novembro 2008
Dezembro 2008
Janeiro 2009
Setembro 2009
Abril 2010
Maio 2010
Outubro 2010
Setembro 2011
Junho 2012

Pré-História
Primórdios